EVITE O CÂNCER TIRANDO O SAL DO CARDÁPIO

Há muito tempo atrás, durante um exame de rotina, um checkup, descobri que estava com a pressão arterial alterada. Naquela oportunidade, meu amigo e cardiologista Dr. Ricardo Simões me disse uma frase que ficou cravada em minha memória. Naquela ocasião ele foi muito enfático: “Sal não é comida de gente…”. Questionei de forma até meio ignorante: Como comer uma salada sem sal? E ele foi novamente taxativo: “O feijão, que todos nós gostamos de comer sempre, como brasileiros que somos, já está temperado com sal. Basta derramar seu caldo sobre a salada e pronto. Não haverá adicional de sal no seu prato.” A partir dessa conversa informal com o médico e amigo, jamais temperei a minha salada com sal.

Como hipertensão é uma doença crônica e tem que ser controlada com remédios e exercícios aeróbios, mantenho o sal longe de minha dieta.

Na matéria abaixo a colega bloqueira Bia apresenta uma outra face do uso do sal. Os danos gastroestomacais que ele provoca, inclusive com o perigo da bactéria Heliobacter pylori.
Leiam com atenção, divulguém e salvem vidas.

Abraços a todos!

Anúncios

Cientista Brasileira Desenvolve Sensor que Detecta Cancer

Priscila Kosaka

Bem pessoal, hoje, segunda-feira, volto a falar de tecnologia. E falar de tecnologia aplicada à ciência e a busca por salvar vidas. Estão vendo essa menina da foto acima? Pois é, essa “garotinha” é a Doutora (isso mesmo, Doutora, pois tem curso de doutorado em Química) Priscila Monteiro Kosaka. Uma brasileira, pesquisadora do Instituto de Microeletrônica de Madrid (Espanha). Essa jovem cientista desenvolveu uma tecnologia que poderá, nos próximos anos, detectar o cancer em estágio inicial. Trata-se de um nanosensor que visa detectar a doença antes do surgimento dos sintomas.

O nanosensor desenvolvido pela Doutora Priscila pretende detectar o cancer tão precocemente com uma probalidade de acerto de dez milhões de vezes acima dos exames tradicionais. A taxa de erro, segundo a pesquisadora, é dois em cada dez mil ensaios feitos em laboratório. E com uma vantagem crucial: ser menos invasivo.

A matéria completa pode ser acessada no blog Mundobit. Vale a pena ficar sabendo de mais esse progresso da ciência e com a sempre inteligente presença de brasileiros brilhantes.

Espalhem a notícia por aí compartilhando pelo Facebook, Twitter e Linkedin utilizando os ícones abaixo. Abs!!!