7 Dicas para Economizar no Supermercado

Todos nós temos que ir ao supermercado cotidianamente. Todos precisamos nos alimentar, o que é o óbvio. Nesses tempos de crise econômica por que passa o nosso Brasil, ir ao supermercado tem se tornado um exercício de malabarismo. Com o dinheiro mais regrado em nosso bolso, como comprar pelo menos os itens de primeira necessidade e não estourar o orçamento? Abaixo, faço uma lista de 7 Dicas para Economizar no Supermercado, baseadas em sugestões de economistas, especialistas em marketing e até de donas de casa mais experientes nessa arte que é ir ao supermercado.

Dicas Infalíveis

  •  Produtos de Marca Conhecidas ou Marcas Próprias?

A maioria das grandes redes de supermercados e hipermercados possuem as chamadas “marcas próprias”. Muitos produtos sob essas marcas próprias são produzidos, envasados e fornecidos por fabricantes de marcas ditas “convencionais”, conhecidas no mercado. Uma forma de economizar na hora de ir às compras é dar uma boa olhada nessas opções próprias das grandes redes supermercadistas. São mais baratas e tem qualidade similar ou até mesmo igual, por um preço bem menor. Um lida nas informações contidas na embalagem dessas marcas alternativas indicam o fabricante, distribuidor ou envasador do produto.

  • Esteja em mãos com encartes dos concorrentes e do próprio estabelecimento

Normalmente, as ofertas estão na entrada dos estabelecimentos comerciais ou nas frentes das fileiras de gôndolas. Outras podem estar na altura de visão de uma pessoa de estatura média (+- 1,70 metros), em meio à outras marcas. Inclusive, segundo os especialistas em marketing, usando essa técnica, os supermercados e hipermercados, muitas vezes, colocam logo acima ou logo abaixo do produto anunciado como oferta, um produto semelhante de outro fabricante, de mesma qualidade, porém mais barato. É bom olhar em volta!!!

Com o encarte da loja em mãos, confira se as ofertas estão conforme anunciado. Caso haja diferença entre o preço na prateleira e o encarte e para maior, exija que seja praticado o preço contido no encarte. Por outro lado, se o encarte do supermercado concorrente oferecer um preço melhor para o mesmo produto, barganhe com a gerência para tentar o mesmo desconto.

  •  Frutas, legumes e verduras da estação

Esta é uma dica clássica. Frutas, legumes e verduras da estação, teoricamente, estarão mais baratas que as fora de época. Faça substituições no seu cardápio sem perder a qualidade, mantendo sua alimentação e de sua família bem saudável.

Alimentos de Época

  • Estoque os alimentos e produtos não-perecíveis 

Essa dica vale para os produtos de limpeza e também para os alimentos com prazo de validade extenso. Leve um boa quantidade para casa evitando a reposição contínua com preços elevados.

  • Cartões de desconto, cartões de crédito da própria loja e cupons de desconto

Muitas redes supermercadistas possuem seus próprios cartões de crédito e oferecem descontos para diversos produtos. Se o cartão de crédito não cobrar anuidade, vale a pena adquiri-lo e utilizá-lo. Caso contrário, não vale a pena. Por outro lado, vários estabelecimentos comerciais oferecem cartões e cupons de descontos de convênios, programas de pontos, etc. São uma boa ferramenta se obtidos sem a contrapartida de dinheiro em espécie.

  • Lista de compras

Dica antiga e recomendada. Faça a lista e não caia na tentação de comprar produtos que não estejam nela. A menos que seja um produto necessário e que foi esquecido ao fazer a lista.

  • Não vá ao supermercado de estômago vazio

Outra dica clássica e muito importante. Ao ir fazer suas compras, alimente-se antes. Parece bobagem mas ao fazer compras de supermercado a fome altera seu foco. Sem perceber, você vai colocando no carrinho guloseimas e supérfluos que, na verdade, você sequer compraria se tivesse se alimentado antes de ir às compras.

Aqui vale também um alerta dos especialistas: ir ao supermercado com crianças e fazer todas as suas vontades, afetam profundamente o valor final que você pagará ao passar no caixa. Fica a dica!

 Bem pessoal, essas são algumas dicas para se dar bem no supermercado. Leiam com calma, compartilhem utilizando os botões das redes sociais abaixo.

Abraços!

7 Atitudes para Usar Corretamente o Cartão de Crédito

Caros amigos leitores! Sei que todos nós, a grande maioria, utiliza o cartão de crédito. É uma ferramenta muito prática, segura e útil. Entretanto o uso incorreto, como qualquer facilidade, pode levar a sua vida financeira ao caos. E aí você passa a odiar ter usado o “dinheiro de plástico”. Passa a se sentir como um rato na ratoeira da operadora do seu cartão crédito.

Ratoeira

Mas há uma forma para você utilizar essa facilidade e não ficar prisioneiro em uma “bola de neve” impagável.  Sem qualquer pretensão de minha parte e como usuário de cartão de crédito há cerca de trinta anos, sugiro a todos as 7 Atitudes para Usar Corretamente o Cartão de Crédito que listo abaixo:

7 passos

  1. Antes de utilizar o seu limite do cartão de crédito tenha em mente que, quando a fatura chegar, terá que ter o valor utilizado em conta.
  2. Dê preferência a um cartão com ótimo sistema de pontuação ou milhagem. Alguns oferecem a troca de pontos/milhas por vários “prêmios”, inclusive abatimento/pagamento da anuidade.
  3. Consulte seu saldo do cartão de crédito pelo menos a cada sete dias. Isso evita sustos quando do recebimento da fatura.
  4. Nas compras pela internet, certifique-se que o site é seguro, com empresa certificadora conhecida. Verifique também a reputação do site/loja para ver se é uma empresa idônea. Não compre de empresas pouco conhecidas ou de reputação dúbia.
  5. Nunca pague o valor mínimo ou entre no crédito rotativo. Os juros são escorchantes! Caso não tenha o dinheiro para pagar a fatura, faça um empréstimo pessoal que lhe ofertará juros menores. E claro, tire o cartão da carteira, guarde em casa até pagar o empréstimo.
  6. Cuidado com as compras parceladas no cartão. A maioria das empresas embutem juros no valor “à vista” e fazem o chamado “parcelamento loja sem juros”. Estando com dinheiro em espécie, negocie o preço à vista (de verdade).
  7. Nunca utilize o cartão de crédito para fazer saques em dinheiro. Os juros e as tarifas cobradas podem ser tão caras que, em alguns casos de saques baixos, ultrapassam o valor do próprio saque.  Se precisar de dinheiro para emergências, faça o empréstimo pessoal, como citado no item 5.

Claro que cada um segue a sua visão financeira, mas as dicas acima funcionam no dia-a-dia. Ao longo desses trinta anos acumulei vasta experiência na utilização do “dinheiro de plástico”.

E como complemento, sugiro a seguinte metodologia prática, testada mensalmente:

4 passos

  1. Tenha no máximo três cartões de crédito. Coloque-os com fechamento de fatura a cada dez dias. Assim você terá a cada dez dias um cartão com fatura fechada e que lhe dará até trinta e nove dias para pagar a “conta” sem juros ou acréscimos.
  2. Mantenha na carteira apenas o cartão de crédito que estiver com fatura fechada (veja o item 1 acima).
  3. Evite ao máximo os cartões de loja. Eles têm anuidade parcelada que é cobrada a cada mês que você usa. Os valores considerados baixos dessas parcelas são ilusórios. Atualmente, em média, R$ 7,99 por mês. Se você utilizar todo mês, ao fim de doze meses, terá pago R$ 95,98. Negocie com a operadora do cartão e tente um valor melhor de anuidade ou isenção dela.
  4. Ainda em relação aos cartões de loja, fique atento pois as operadoras desses cartões embutem na sua fatura seguros, sorteios, capitalizações e outros. Se você não costuma dar uma boa olhada na fatura, acaba pagando coisas que não contratou. Fique atento!!!

Bem meus amigos, ficam aí as dicas. Existem vários sites financeiros que corroboram o que menciono acima. Agora é foro íntimo de cada um!

Se gostaram da matéria, compartilhem com amigos e familiares nas redes sociais utilizando os ícones abaixo do Facebook, Linkedin e Twitter.

Forte abraço a todos!!!